Etiqueta em velórios

1- Velórios, enterros e missas de sétimo dia devem ser encarados como um momento de solidariedade a familiares, amigos ou conhecidos;

2- Sempre que puder, compareça aos velórios. Se for de parente, de um amigo, sua presença é imprescindível. O mesmo se aplica no caso de colegas que você tenha um contato habitual. Se você faltar, saiba que sua ausência será notada;

3- Se por um motivo importante não puder comparecer ao velório ou enterro, envie um telegrama, cartão ou dê um telefonema (desde que não seja em hora próxima ao sepultamento ou durante o mesmo). Nunca envie e-mail… É frio e impessoal;

4- Muitas pessoas ficam sem saber que palavra de alento seria ideal nesses momentos. Se não souber o que falar, simplesmente dê um abraço carinhoso e permaneça em silêncio;
A expressão “sinto muito” é menos pesada que “meus pêsames” e tem praticamente o mesmo efeito;

5- Deve ficar, num velório para passar a noite, apenas quem prive da intimidade da família;

6- Ficar rodeando a viúva ou viúvo, lamentando, lembrando as qualidades do extinto, equivale a importunar pelo exagero;

-> É importante salientar que não se deve apresentar sentimentos de pesar senão às pessoas que seriam obrigadas a usarem luto: avós, filhos, netas, irmãos e cunhados.

- Um genro viúvo não recebe pêsames.

- Em casos especiais é cabível apresentar pêsames a tios, primos, etc., que estiverem muito abalados pelo passamento do parente.

7- Em cemitérios ou igrejas, utilize roupas de cores sóbrias. De preferência, deixe a cor preta para os familiares enlutados. Se mulher, use roupas decentes, jamais decotadas ou curtas. O foco nessa ocasião não é moda. Evite ousar, seja discreto (a).

8- Desligue o celular ou o ponha no modo silencioso. Procure manter o tom de voz baixo. – Não há nada mais ofensivo, do que observar em ocasiões como essas, pessoas que reúnem em cantos, para contar piadas. É preferível que se retirem.

9- Tomando conhecimento de missa de sétimo dia, compareça. A presença de amigos nesse momento sempre é bem-vinda.

10- Missas de sétimo dia, são em geral anunciadas pela imprensa. Costuma-se colocar um livro ou urna, à porta da Igreja, para receber o nome dos que compareceram. Estes nomes e endereços servirão para os agradecimentos da família enlutada.

11- Evite levar criança, mas se algum familiar se apresentar com alguma, ofereça-se para cuidar dela.

12- Para evitar constrangimentos, primordial é saber a religião e a nacionalidade do defunto. Aí residem as maiores diferenças no ritual das cerimônias fúnebres. Regra geral é oferecer à família enlutada sua companhia, mas sem pretensão de acabar com seu sofrimento. Ela precisa superar a dor. Nada de frase feitas, tipo “vai passar”. Faça tudo que puder pelos enlutados, tanto quando da notícia do falecimento, como em dias futuros. Porém, é interessante não se oferecer para ajudar “em qualquer coisa”, pois podes não ter condições para atender determinada necessidade.

13- Após o velório, visitas na residência dos familiares enlutados devem ser feitas só sob consulta prévia, e que não sejam no mesmo dia do sepultamento ou logo no outro; A família pode precisar de descanso… E quando os visitarem observe que o tempo de permanência varia de acordo com a intimidade.

14- Caso você perceba alguma pessoa em desacordo com o velório (bêbados, por exemplo), procure se aproximar dela sutilmente e peça-a para retirar-se.

15- Não fique o tempo todo lembrando a perda de alguem. Sempre que encontrar a pessoa enlutada cumprimente-a naturalmente, e demonstre sua alegria de tê-la por perto. Aja como gostaria que agissem com você

16- A remessa de coroas não deve ser feita sem uma consulta prévia aos parentes enlutados. Cuidado com as inscrições. PRIME pela discrição e simplicidade.